PUBLICIDADE




O Senado realizará nesta segunda-feira (25) a eleição dos 21 integrantes da comissão especial que vai analisar o processo de impeachment autorizado pela Câmara dos Deputados contra a presidente da República, Dilma Rousseff. (Foto: Senado/Divulgação)

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reiterou que continuará a conduzir o processo com total isenção e independência sem se submeter à pressão de nenhum dos lados.

“Não posso passar para a história como alguém que está atropelando o prazo de 48 horas para os líderes indicarem seus representantes. Eu não vou me prestar a esse papel nem para um lado nem para o outro. Vou manter a imparcialidade que tenho mantido até aqui. Se for necessário, eu vou, para dirimir qualquer dúvida, pedir a antecipação da transferência da presidência do Senado Federal para o presidente do Supremo Tribunal Federal para que essas dúvidas deixem de acontecer e para que não haja questões de ordem sendo feitas a cada momento por motivação meramente política”, alertou.

Comissão do impeachment

A comissão especial que vai analisar o processo de impeachment contra a presidente da República terá até dez dias úteis para emitir um parecer que será encaminhado para deliberação no plenário, onde a aprovação dependerá de maioria simples (metade dos senadores mais um, presente a maioria absoluta na sessão). Se a admissibilidade for aprovada no Plenário, será considerado instaurado o processo, a presidente, notificada e afastada por até 180 dias.

Os líderes partidários decidiram que o colegiado obedecerá a proporcionalidade partidária por blocos na escolha dos 21 integrantes. Serão 21 titulares e 21 suplentes. A legislação prevê a formação de chapa única e eleição, por voto aberto, no Plenário do Senado. O integrante mais idoso convocará a instalação da comissão e a eleição do presidente e o relator.

A comissão será representada da seguinte forma:

Comissão do Impeachment
BlocoIntegrantes
Bloco da Maioria (PMDB)5
Bloco Parlamentar da Oposição (PSDB-DEM-PV)4
Bloco de Apoio ao Governo (PT-PDT)4
Bloco Parlamentar Socialismo e Democracia (PSB-PPS-PCdoB-Rede)3
Bloco Moderador (PR-PTB-PSC-PRB-PTC)2
Bloco Parlamentar Democracia Progressista (PP-PSD)3
Total21

Integrantes da comissão especial serão eleitos pelo Senado nesta segunda-feira




O Senado realizará nesta segunda-feira (25) a eleição dos 21 integrantes da comissão especial que vai analisar o processo de impeachment autorizado pela Câmara dos Deputados contra a presidente da República, Dilma Rousseff. (Foto: Senado/Divulgação)

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reiterou que continuará a conduzir o processo com total isenção e independência sem se submeter à pressão de nenhum dos lados.

“Não posso passar para a história como alguém que está atropelando o prazo de 48 horas para os líderes indicarem seus representantes. Eu não vou me prestar a esse papel nem para um lado nem para o outro. Vou manter a imparcialidade que tenho mantido até aqui. Se for necessário, eu vou, para dirimir qualquer dúvida, pedir a antecipação da transferência da presidência do Senado Federal para o presidente do Supremo Tribunal Federal para que essas dúvidas deixem de acontecer e para que não haja questões de ordem sendo feitas a cada momento por motivação meramente política”, alertou.

Comissão do impeachment

A comissão especial que vai analisar o processo de impeachment contra a presidente da República terá até dez dias úteis para emitir um parecer que será encaminhado para deliberação no plenário, onde a aprovação dependerá de maioria simples (metade dos senadores mais um, presente a maioria absoluta na sessão). Se a admissibilidade for aprovada no Plenário, será considerado instaurado o processo, a presidente, notificada e afastada por até 180 dias.

Os líderes partidários decidiram que o colegiado obedecerá a proporcionalidade partidária por blocos na escolha dos 21 integrantes. Serão 21 titulares e 21 suplentes. A legislação prevê a formação de chapa única e eleição, por voto aberto, no Plenário do Senado. O integrante mais idoso convocará a instalação da comissão e a eleição do presidente e o relator.

A comissão será representada da seguinte forma:

Comissão do Impeachment
BlocoIntegrantes
Bloco da Maioria (PMDB)5
Bloco Parlamentar da Oposição (PSDB-DEM-PV)4
Bloco de Apoio ao Governo (PT-PDT)4
Bloco Parlamentar Socialismo e Democracia (PSB-PPS-PCdoB-Rede)3
Bloco Moderador (PR-PTB-PSC-PRB-PTC)2
Bloco Parlamentar Democracia Progressista (PP-PSD)3
Total21

Nenhum comentário:

Postar um comentário