PUBLICIDADE



Mais uma vez o governador Robinson Faria é alvo de protesto protagonizado por entidades ligadas a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Neste fim de semana foram postos outdoors com mensagens de cobranças direcionadas ao chefe do executivo estadual relacionadas ao atraso no pagamento dos salários do funcionalismo, uma situação que foi agravada pelo descumprimento de promessas feitas pelo governo junto a instituição.

A UERN acompanhou no ano passado o maior movimento grevista de sua história, o que acabou acirrando os ânimos de representantes das classes docente, servidores e estudantil.

Na ocasião da inauguração do Restaurante Popular no Campus Central em Mossoró, este ano, o governador foi recebido com um grande protesto deixando a cidade com a promessa de buscar soluções para problemas apresentando pela Aduern e por uma comissão de universitários envolvidos com o protesto. Como o governo não deu resposta e com o impasse relacionado ao atraso de salário do mês de abril, a Aduern decidiu pela paralisação que tem data de início marcada para o dia 10.

Entidades voltam a protestar contra o governador Robinson Faria em Mossoró



Mais uma vez o governador Robinson Faria é alvo de protesto protagonizado por entidades ligadas a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Neste fim de semana foram postos outdoors com mensagens de cobranças direcionadas ao chefe do executivo estadual relacionadas ao atraso no pagamento dos salários do funcionalismo, uma situação que foi agravada pelo descumprimento de promessas feitas pelo governo junto a instituição.

A UERN acompanhou no ano passado o maior movimento grevista de sua história, o que acabou acirrando os ânimos de representantes das classes docente, servidores e estudantil.

Na ocasião da inauguração do Restaurante Popular no Campus Central em Mossoró, este ano, o governador foi recebido com um grande protesto deixando a cidade com a promessa de buscar soluções para problemas apresentando pela Aduern e por uma comissão de universitários envolvidos com o protesto. Como o governo não deu resposta e com o impasse relacionado ao atraso de salário do mês de abril, a Aduern decidiu pela paralisação que tem data de início marcada para o dia 10.

Nenhum comentário:

Postar um comentário