PUBLICIDADE



O juiz Marcelo Brêtas, responsável na Justiça Federal do Rio pelos processos sobre fraudes e corrupção na estatal Eletronuclear, enviou ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivos com referências à presidente Dilma Rousseff e ao senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia. Ambos têm foro privilegiado e só podem ser investigados no STF.

O material sobre Dilma e Lobão faz referência ao esquema investigado na Operação Lava Jato e foi apreendido pela Polícia Federal na casa do ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva. O ex-executivo foi preso suspeito de receber propina desviada de obras da Usina Nuclear Angra 3.

Edison Lobão já é alvo de quatro inquéritos da Lava Jato. Já Dilma poderá ser investigada por tentativa de obstrução da operação. As suspeitas contra ela têm como base a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e os grampos autorizados pelo juiz Sergio Moro para investigar o ex-presidente Lula.

Veja (Com Estadão Conteúdo)

Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a Dilma



O juiz Marcelo Brêtas, responsável na Justiça Federal do Rio pelos processos sobre fraudes e corrupção na estatal Eletronuclear, enviou ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivos com referências à presidente Dilma Rousseff e ao senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia. Ambos têm foro privilegiado e só podem ser investigados no STF.

O material sobre Dilma e Lobão faz referência ao esquema investigado na Operação Lava Jato e foi apreendido pela Polícia Federal na casa do ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva. O ex-executivo foi preso suspeito de receber propina desviada de obras da Usina Nuclear Angra 3.

Edison Lobão já é alvo de quatro inquéritos da Lava Jato. Já Dilma poderá ser investigada por tentativa de obstrução da operação. As suspeitas contra ela têm como base a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e os grampos autorizados pelo juiz Sergio Moro para investigar o ex-presidente Lula.

Veja (Com Estadão Conteúdo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário