PUBLICIDADE


Aderindo ao movimento grevista nacional, os bancários do Rio Grande do Norte inciaram uma paralisação por tempo indeterminado nesta terça-feira (6).

O movimento atinge bancos públicos e privado e representa uma resposta a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que reivindicou no final de agosto um reajuste de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil.

Os bancários querem reajuste de reposição da inflação do período, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

Bancários entram em greve por tempo indeterminado no RN


Aderindo ao movimento grevista nacional, os bancários do Rio Grande do Norte inciaram uma paralisação por tempo indeterminado nesta terça-feira (6).

O movimento atinge bancos públicos e privado e representa uma resposta a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que reivindicou no final de agosto um reajuste de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil.

Os bancários querem reajuste de reposição da inflação do período, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário