PUBLICIDADE



Alto do Rodrigues - Depois de não ter dado a mínima atenção ao Sindicato dos Servidores Públicos de Alto do Rodrigues durante a campanha de 2012, quando foi derrotado pelo atual prefeito Abelardo Rodrigues, o ex-prefeito Eider Medeiros, na tentativa de se redimir dos erros e injustiças cometidos com a categoria durante sua gestão, fez uma visita a sede da entidade acompanhado de sua candidata a prefeita, a ex-primeira dama Jaqueline Xavier, e ouviu o desabafo de representantes sindicais.

Segundo uma fonte que estava presente no encontro, alguns dirigentes fizeram um discurso moralizador que estava "entalado na garganta a muito tempo". Os relatos foram desde a falta de atenção a classe até as perseguições veladas protagonizadas pela direção da rádio "comunitária" local de propriedade do ex-mandatário, que por vezes negaram o direito aos sindicalistas de se pronunciarem mesmo quando eram acusados ou citados na emissora. "Aqui nós recebemos todos, indistintamente", disse uma das líderes.

Ainda de acordo com a fonte, o tempo só foi suficiente para o ex-prefeito pedir desculpa pelas besteiras que cometeu, o que para muitos veio tarde demais e num momento inapropriado, ou seja, no período de campanha eleitoral, o que não soa bem, uma vez que geram dúvidas sobre a verdadeira intenção.

Candidata visita Sindicato com ex-prefeito e ouve o desabafo de dirigentes



Alto do Rodrigues - Depois de não ter dado a mínima atenção ao Sindicato dos Servidores Públicos de Alto do Rodrigues durante a campanha de 2012, quando foi derrotado pelo atual prefeito Abelardo Rodrigues, o ex-prefeito Eider Medeiros, na tentativa de se redimir dos erros e injustiças cometidos com a categoria durante sua gestão, fez uma visita a sede da entidade acompanhado de sua candidata a prefeita, a ex-primeira dama Jaqueline Xavier, e ouviu o desabafo de representantes sindicais.

Segundo uma fonte que estava presente no encontro, alguns dirigentes fizeram um discurso moralizador que estava "entalado na garganta a muito tempo". Os relatos foram desde a falta de atenção a classe até as perseguições veladas protagonizadas pela direção da rádio "comunitária" local de propriedade do ex-mandatário, que por vezes negaram o direito aos sindicalistas de se pronunciarem mesmo quando eram acusados ou citados na emissora. "Aqui nós recebemos todos, indistintamente", disse uma das líderes.

Ainda de acordo com a fonte, o tempo só foi suficiente para o ex-prefeito pedir desculpa pelas besteiras que cometeu, o que para muitos veio tarde demais e num momento inapropriado, ou seja, no período de campanha eleitoral, o que não soa bem, uma vez que geram dúvidas sobre a verdadeira intenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário