PUBLICIDADE



Mais de uma centena de pessoas, a maioria cubanos exilados, saíram às ruas de Miami, nos Estados Unidos, para festejar a morte de Fidel Castro.

"Liberdade, liberdade" e "Olé, Olé, se foi, se foi" foram algumas das frases ditas pela multidão nas proximidades do Café Versailles, um dos locais preferidos da comunidade cubana em Miami.

"Não está se festejando a morte de um ser humano, está se festejando a morte de um ditador. Assim como se celebrou a morte de Hitler, estamos comemorando a de uma pessoa que causou muitos danos a quatro gerações de cubanos", disse o prefeito de Miami, Tomás Regalado. "Esses jovens que nasceram nos Estados Unidos refletem a dor que seus pais e avós sofreram, tirados de sua pátria. Creio que isso é o mais importante que o mundo deve ver. Não é uma falta de respeito, ao contrário, uma genuína celebração de liberdade de um ditador", acrescentou.

Os três parlamentares cubano-estadounidenses da Flórida também comemoraram a morte do "tirano" Fidel Castro e fizeram votos para que a Cuba se torne livre e democrática.

(Agência Brasil com informações de Monica Yanakiew, de Buenos Aires, e da agência de notícias Telam)

Cubanos em Miami fazem festa após morte de Fidel Castro



Mais de uma centena de pessoas, a maioria cubanos exilados, saíram às ruas de Miami, nos Estados Unidos, para festejar a morte de Fidel Castro.

"Liberdade, liberdade" e "Olé, Olé, se foi, se foi" foram algumas das frases ditas pela multidão nas proximidades do Café Versailles, um dos locais preferidos da comunidade cubana em Miami.

"Não está se festejando a morte de um ser humano, está se festejando a morte de um ditador. Assim como se celebrou a morte de Hitler, estamos comemorando a de uma pessoa que causou muitos danos a quatro gerações de cubanos", disse o prefeito de Miami, Tomás Regalado. "Esses jovens que nasceram nos Estados Unidos refletem a dor que seus pais e avós sofreram, tirados de sua pátria. Creio que isso é o mais importante que o mundo deve ver. Não é uma falta de respeito, ao contrário, uma genuína celebração de liberdade de um ditador", acrescentou.

Os três parlamentares cubano-estadounidenses da Flórida também comemoraram a morte do "tirano" Fidel Castro e fizeram votos para que a Cuba se torne livre e democrática.

(Agência Brasil com informações de Monica Yanakiew, de Buenos Aires, e da agência de notícias Telam)

Nenhum comentário:

Postar um comentário