PUBLICIDADE


Alto do Rodrigues - As chuvas irregulares que vem caindo desde o mês de janeiro na região do Vale do Açu, ainda não foram o suficiente para acabar com a preocupação com relação ao nível de água na Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, principal reservatório do estado que abastece diversos municípios em várias regiões.

Segundo Ezequias Florêncio, que acompanha há anos os níveis de água no rio Piranhas-Assú, especialmente nas áreas que abrange o Alto do Rodrigues e Pendências, as chuvas contribuíram sem dúvidas para aumentar os níveis de água, mas ainda está muito longe do suficiente para garantir a normalidade do abastecimento, por isso recomenda cautela.

Régua afixada no leito do Rio-Piranhas-Açu, que orienta na leitura do volume de água.

Ezequias fez questão de acompanhar a nossa reportagem até as margens do rio, onde fizemos uma medição através de uma espécie de régua fixada no leito do rio que ajuda na orientação com relação ao volume de água recebida entre um intervalo de um período chuvoso. O secretário de Desenvolvimento Rural de Alto do Rodrigues, Francisco Paiva ("Bão"), também colaborou com apoio e informações.

Só para se ter uma ideia da situação, na última medição realizada há exatamente um mês, no dia 20 de janeiro, a régua cotava 0,54cm em Alto do Rodrigues e 0,65 cm em Pendências. Com a chegada das chuvas os níveis aumentaram e de acordo com a medição feita na manhã desta segunda-feira (20), subiram para 96cm e 1,46cm, respectivamente. Nem Ezequias e nem o secretário, atribui o aumento apenas ao período chuvoso, mas também a economia de água com o desligamento das bombas que faziam a retirada do leito do rio e que momentaneamente deixaram de faze-lo graças a essas primeiras precipitações.

Baseado nessas e outras informações, ambos reconhecem que a situação é animadora, mas recomendam a todos que fiquem em alerta para evitar o desperdício de água para assim tentarmos minimizar a crise e evitar um possível colapso no abastecimento.

Apesar das chuvas, situação de reservatórios ainda é preocupante


Alto do Rodrigues - As chuvas irregulares que vem caindo desde o mês de janeiro na região do Vale do Açu, ainda não foram o suficiente para acabar com a preocupação com relação ao nível de água na Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, principal reservatório do estado que abastece diversos municípios em várias regiões.

Segundo Ezequias Florêncio, que acompanha há anos os níveis de água no rio Piranhas-Assú, especialmente nas áreas que abrange o Alto do Rodrigues e Pendências, as chuvas contribuíram sem dúvidas para aumentar os níveis de água, mas ainda está muito longe do suficiente para garantir a normalidade do abastecimento, por isso recomenda cautela.

Régua afixada no leito do Rio-Piranhas-Açu, que orienta na leitura do volume de água.

Ezequias fez questão de acompanhar a nossa reportagem até as margens do rio, onde fizemos uma medição através de uma espécie de régua fixada no leito do rio que ajuda na orientação com relação ao volume de água recebida entre um intervalo de um período chuvoso. O secretário de Desenvolvimento Rural de Alto do Rodrigues, Francisco Paiva ("Bão"), também colaborou com apoio e informações.

Só para se ter uma ideia da situação, na última medição realizada há exatamente um mês, no dia 20 de janeiro, a régua cotava 0,54cm em Alto do Rodrigues e 0,65 cm em Pendências. Com a chegada das chuvas os níveis aumentaram e de acordo com a medição feita na manhã desta segunda-feira (20), subiram para 96cm e 1,46cm, respectivamente. Nem Ezequias e nem o secretário, atribui o aumento apenas ao período chuvoso, mas também a economia de água com o desligamento das bombas que faziam a retirada do leito do rio e que momentaneamente deixaram de faze-lo graças a essas primeiras precipitações.

Baseado nessas e outras informações, ambos reconhecem que a situação é animadora, mas recomendam a todos que fiquem em alerta para evitar o desperdício de água para assim tentarmos minimizar a crise e evitar um possível colapso no abastecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário