PUBLICIDADE


Chamou atenção no Rio Grande do Norte o aparecimento de uma professora como deladora na Operação Candeeiro, que investiga o desvio de R$ 35 milhões do IDEMA (Instituto de Desenvolvimento Sustentável é Meio Ambiente do RN), liderado – segundo o MP – pelo ex-diretor Gutson Reinaldo, filho da ex-procuradora da Assembleia Legislativa do RN, Rita das Mercês Reinaldo, apontada como mentora da Operação Dama de Espadas, que teria desviado R$ 5,5 milhões da Poder Legislativo Potiguar.

A professora delatora Vilma Rejane Maciel de Sousa atuou como fiscal do contrato da Fundação para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar (Fundep), junto ao IDEMA. Documentos obtidos com exclusividade pela Tribuna do Norte mostram quatro fatores entre o contrato é órgão ambiental estadual.

Gutson detalhou em sua delação que a licitação de R$ 2,3 milhões para a Fundep operacionalizar o Barco Escola foi direcionada. E do valor, R$ 100 mil foram repassados a um parlamentar do RN, que ainda não teve identidade revelada.

Detalhe: As delações de Gutson e da professora Vilma Rejane foram homologadas pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Um Senador potiguar e dois deputados federais também do RN foram citados nas colaborações premiadas.

Por Heitor Gregório/TN

Candeeiro: Parlamentar do RN é acusado de receber propina por “Barco Escola”


Chamou atenção no Rio Grande do Norte o aparecimento de uma professora como deladora na Operação Candeeiro, que investiga o desvio de R$ 35 milhões do IDEMA (Instituto de Desenvolvimento Sustentável é Meio Ambiente do RN), liderado – segundo o MP – pelo ex-diretor Gutson Reinaldo, filho da ex-procuradora da Assembleia Legislativa do RN, Rita das Mercês Reinaldo, apontada como mentora da Operação Dama de Espadas, que teria desviado R$ 5,5 milhões da Poder Legislativo Potiguar.

A professora delatora Vilma Rejane Maciel de Sousa atuou como fiscal do contrato da Fundação para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar (Fundep), junto ao IDEMA. Documentos obtidos com exclusividade pela Tribuna do Norte mostram quatro fatores entre o contrato é órgão ambiental estadual.

Gutson detalhou em sua delação que a licitação de R$ 2,3 milhões para a Fundep operacionalizar o Barco Escola foi direcionada. E do valor, R$ 100 mil foram repassados a um parlamentar do RN, que ainda não teve identidade revelada.

Detalhe: As delações de Gutson e da professora Vilma Rejane foram homologadas pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Um Senador potiguar e dois deputados federais também do RN foram citados nas colaborações premiadas.

Por Heitor Gregório/TN

Nenhum comentário:

Postar um comentário