PUBLICIDADE



Em nota a imprensa publicada nesta terça-feira, 20, a esposa do ex-prefeito de Macau, Kerginal Pinto, Aline Galdino, esclareceu sobre uma notícia equivocada que foi noticiada por diversos meios de comunicação do Rio Grande do Norte, com relação uma decisão judicial que confirmaria a manutenção da prisão do ex-prefeito Kerginal, que no exercício do cargo foi investigado na Operação “Maresias”, que à época apurou suposta prática de crimes no âmbito do executivo macauense. As acusações envolveram delitos como peculato, falsificação de documentos e coação a testemunhas.

Segundo Aline, o ex-prefeito encontra-se "em casa com a família".

Nota

A esposa do ex-prefeito esclarece:
Bom dia amigos, esse julgamento aconteceu no final do mês passado e publicado sexta-feira pelo STF. Trata-se de um recurso impetrado pelos advogados de Kerginaldo na época que ele estava preso, que só foi julgado agora, o que o torna sem efeito, já que a Desembargadora já tinha revogado a prisão por outros motivos diferente desse pedido ao STF. Resumindo o julgamento não tem efeito, e meu esposo estar em casa com nossa família, muito obrigado a todos pela preocupação somente para esclarecer.

Aline Galdino.

Esposa esclarece sobre decisão judicial no caso do ex-prefeito de Macau



Em nota a imprensa publicada nesta terça-feira, 20, a esposa do ex-prefeito de Macau, Kerginal Pinto, Aline Galdino, esclareceu sobre uma notícia equivocada que foi noticiada por diversos meios de comunicação do Rio Grande do Norte, com relação uma decisão judicial que confirmaria a manutenção da prisão do ex-prefeito Kerginal, que no exercício do cargo foi investigado na Operação “Maresias”, que à época apurou suposta prática de crimes no âmbito do executivo macauense. As acusações envolveram delitos como peculato, falsificação de documentos e coação a testemunhas.

Segundo Aline, o ex-prefeito encontra-se "em casa com a família".

Nota

A esposa do ex-prefeito esclarece:
Bom dia amigos, esse julgamento aconteceu no final do mês passado e publicado sexta-feira pelo STF. Trata-se de um recurso impetrado pelos advogados de Kerginaldo na época que ele estava preso, que só foi julgado agora, o que o torna sem efeito, já que a Desembargadora já tinha revogado a prisão por outros motivos diferente desse pedido ao STF. Resumindo o julgamento não tem efeito, e meu esposo estar em casa com nossa família, muito obrigado a todos pela preocupação somente para esclarecer.

Aline Galdino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário