PUBLICIDADE


Segue na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal, à tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que propõe eleição direta em caso de vacância da Presidência da República. (Foto: reprodução/Veja.com)

A oposição aproveitou um cochilo da bancada governista e conseguiu dá andamento a PEC.

Pela legislação atual, caso o presidente Michel Temer (PMDB) deixe o cargo, a escolha do sucessor será feira por eleição indireta, pelos votos de deputados e senadores.

A base aliada vinha obstruindo a análise da PEC, mas nesta terça a oposição foi mais ágil e conseguiu concluir a leitura do relatório da admissibilidade do texto, etapa prévia para a votação. Os governistas não contavam com a realização da sessão na manhã e trabalharam para esvaziar a reunião que tinha como pauta exclusiva a proposta de eleição direta.

Proposta de eleição direta avança na CCJ


Segue na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal, à tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que propõe eleição direta em caso de vacância da Presidência da República. (Foto: reprodução/Veja.com)

A oposição aproveitou um cochilo da bancada governista e conseguiu dá andamento a PEC.

Pela legislação atual, caso o presidente Michel Temer (PMDB) deixe o cargo, a escolha do sucessor será feira por eleição indireta, pelos votos de deputados e senadores.

A base aliada vinha obstruindo a análise da PEC, mas nesta terça a oposição foi mais ágil e conseguiu concluir a leitura do relatório da admissibilidade do texto, etapa prévia para a votação. Os governistas não contavam com a realização da sessão na manhã e trabalharam para esvaziar a reunião que tinha como pauta exclusiva a proposta de eleição direta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário